Afinal, tatuagem na gravidez pode ou não pode?

É comum ver pessoas nas ruas com o corpo tatuado, afinal, a tatuagem tornou-se sinônimo de identidade. Coloridas ou em p&b; grandes ou pequenas; com significado explícito ou sem nenhuma explicação; o importante é ficar satisfeito com o resultado final.

Mas antes de decidir o que tatuar, é muito importante avaliar a procedência do local e ficar por dentro de todo o processo e, principalmente, saber os possíveis riscos.

Se você está pensando em fazer uma tatuagem, mas também pensa em engravidar (ou já está grávida), e está na dúvida se tatuagem na gravidez pode ou não pode, confira o artigo a seguir.

Você é gestante, fez uma tatuagem durante a gravidez e não sabe o que fazer nesse momento?

Apesar de os ginecologistas recomendarem que as pacientes esperem cerca de 40 dias após a gestação para fazer uma tatuagem, isso não é uma proibição. Certamente o mais adequado é aguardar, mas se você já tiver feito uma tatuagem na gravidez, não se desespere!

Se você estiver com o pré natal em dia e os exames não indicarem quaisquer alterações, provavelmente está correndo tudo bem com você e também com seu bebê.

De todo modo, é importante informar o seu ginecologista ou o profissional de saúde que acompanha a sua gravidez, pois é possível que eles peçam para você repetir alguns exames. Isso pode acontecer simplesmente para terem certeza de que tudo está realmente bem ou para tratar possíveis doenças.

Quais são os riscos que a tatuagem na gravidez pode trazer à gestante e ao bebê?

A gravidez é uma fase de adequação do corpo da mulher, uma vez que acontecem inúmeras mudanças hormonais e físicas. Assim, a tatuagem pode implicar alguns riscos listados abaixo:

Contrair doenças

Caso o material utilizado para fazer a tatuagem não esteja devidamente esterilizado ou o ambiente não esteja totalmente higienizado, existe o risco de a mulher contrair alguma doença, como Hepatite B ou até mesmo HIV, por exemplo.

Ter uma infecção na tatuagem

Durante a gestação a imunidade da mulher está mais baixa e, portanto, ela fica mais suscetível a contrair quaisquer infecções de fungos e bactérias no local da tatuagem. É possível que essas infecções passem para o bebê através da circulação e prejudiquem o seu desenvolvimento natural.

Tinta tóxica

Nem sempre é possível saber sobre a procedência das tintas utilizadas nos estúdios de tatuagem. Por se tratar de algo químico, acredita-se que as tintas possam afetar a saúde, o desenvolvimento e o bem estar do bebê.

Má cicatrização da tatuagem

Por se tratar de uma espécie de ferimento na pele, a tatuagem demora de 7 a 14 dias para cicatrizar. No entanto, durante a gravidez, devido as alterações hormonais, esse processo pode ser mais lento. Portanto, é possível que a tatuagem fique um pouco alta e espessa, caracterizando uma queloide.

Estética ruim

Além dos riscos citados acima, há também a questão estética. Durante a gravidez a pele estica muito e, muitas vezes, há certo ganho de peso. Portanto, dependendo do local, é possível que o desenho não fique exatamente como planejado, uma vez que o corpo passará novamente por mudanças já que a mulher perderá peso rapidamente após a gravidez. Além disso, também existe a possibilidade de surgimento de estrias e algumas manchas que podem danificar o desenho.

Portanto, nosso conselho é não fazer tatuagem na gravidez. Aguarde e não corra esses riscos! Afinal, você pode fazer a tatuagem em qualquer outro período da sua vida. O ideal é que a tatuagem seja feita após o desmame do seu bebê, pois o leite materno também pode transmitir doenças.

E aí, esclarecemos as suas dúvidas? Siga nossas redes sociais e fique por dentro de questões relacionadas à saúde feminina e gravidez.

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro