Câncer de mama: pequenos cuidados que toda mulher precisa ter

O câncer de mama é um dos tipos mais comuns e o que mais causa morte de mulheres em todo o mundo. Entretanto, quando a doença é diagnosticada de forma precoce, as chances de cura podem ser elevadíssimas, próximas a 95% dos casos.

Por isso, é fundamental conhecer os principais sintomas, os fatores de risco, como se prevenir dessa doença e fazer acompanhamento periódico junto ao seu médico.

Quer saber mais? Ótimo! No post de hoje, explicaremos um pouco mais sobre essa doença. Acompanhe conosco e tire suas dúvidas!

O câncer de mama

Os cânceres são caracterizados pelo crescimento acelerado e descontrolado das células, que começam a se multiplicar com anormalidade e se tornam agressivas ao nosso próprio corpo. Nesse processo, elas invadem tecidos e órgãos saudáveis e podem produzir tumores malignos.

No caso do câncer de mama, isso ocorre nas glândulas existentes na região dos lóbulos e ductos mamários. É importante saber, também, que existem tumores benignos, caracterizados pelo crescimento anormal, mas que não representam uma ameaça como os malignos. A confirmação da natureza do tumor deve ser feita por um médico e por meio de exames.

O diagnóstico precoce desse tipo de câncer é um fator que ajuda muito no tratamento, elevando as chances de cura para cerca de 95% dos casos. Por isso, é fundamental ficar atenta aos sintomas, fatores de risco, às formas de prevenção e realizar exames periódicos para detectar a doença em estágios iniciais.

Os fatores de risco

Não há uma causa única que determine o aparecimento de um câncer qualquer, mas existem fatores de risco que podem elevar as chances de a doença se manifestar. Esses fatores, no caso do câncer de mama, podem ser classificados em duas categorias: os modificáveis e os não modificáveis.

Fatores de risco não modificáveis

São aqueles que não se pode controlar, como uma predisposição genética e histórico da doença na família; a idade, pois o risco aumenta à medida que se envelhece; e o gênero, uma vez que o câncer de mama é muito mais frequente em mulheres do que em homens.

Fatores de risco modificáveis

São aqueles que podem ser alterados a partir da adoção de hábitos de vida saudáveis, como a prática regular de exercícios físicos, redução da ingestão de bebidas alcoólicas, controle do peso e bons hábitos alimentares.

É importante lembrar-se de que esses cuidados não substituem o acompanhamento periódico da sua saúde.

Os principais sintomas

Os sintomas do câncer de mama são vários e, por isso, é importante que a mulher conheça bem suas mamas e saiba identificar possíveis alterações. O mais comum deles é o surgimento de um caroço nas mamas, único, duro e irregular, mas nódulos com outras características também devem ser investigados.

Entre outros sintomas, podem ser citados os seguintes:

  • Edema da pele em alguma parte do seio;
  • Dores ou inversão do mamilo;
  • Secreção escura ou com sangue na região dos mamilos;
  • Vermelhidão ou descamação na pele do seio ou mamilos;
  • Sensação de nódulo próximo às axilas.

Vale lembrar que todas as alterações percebidas devem ser relatadas ao médico em suas consultas, e nem sempre tais sintomas significam a existência da doença.

Como se prevenir do câncer de mama

Como visto, são muitos os fatores que podem levar ao câncer de mama e, por isso, a melhor forma de se prevenir é endereçar os fatores de risco modificáveis.

As dicas gerais de prevenção são:

  • Adote hábitos de vida saudáveis, como a boa alimentação, prática de exercícios físicos e redução ou eliminação do consumo de bebidas alcoólicas e cigarros;
  • Aprenda a fazer o autoexame e verifique mensalmente se existem alterações notáveis;
  • Faça visitas regulares a um médico especialista e siga as orientações do profissional;
  • Conheça os principais sintomas e causas da doença.

Há casos em que o autoexame é incapaz de detectar nódulos, ou só se consegue identificá-los em estágios mais avançados. Por isso, recomenda-se que após os 40 anos a mamografia seja feita anualmente.

Lembre-se de que quanto antes o câncer de mama é diagnosticado, maiores são as chances de cura da doença.

Gostou das dicas de hoje? Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude suas amigas a entenderem um pouco mais sobre essa doença!

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro