clamídia

Clamídia: causas, sintomas e tratamentos

A clamídia é uma infecção sexualmente transmitida muito comum e que nem sempre gera sintomas. No entanto, quando não tratada, pode levar a consequências sérias, como gravidez ectópica e infertilidade. Saiba mais sobre essa doença e como identificar os sinais dela.

Essa enfermidade é uma infecção causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Esse parasita geralmente ataca o organismo gerando uma infecção na uretra, no reto e na região do colo do útero. Pode ser transmitida tanto por vias vaginal e anal quanto por via oral.

Causas da doença

A clamídia afeta tanto homens quanto mulheres e é mais comum quando há uma troca maior de parceiros sexuais sem a utilização de preservativos durante as relações. A infecção também pode ser passada da mãe para o bebê durante a gravidez.

Dentre as infecções sexualmente transmissíveis, como a sífilis e a gonorreia, a que está aqui em análise é a mais comum no mundo todo. Ocorre com mais frequência na população adolescente e jovem com menos de 25 anos e com vida sexual ativa.

Quais são os sintomas da clamídia?

A grande maioria das pessoas infectadas por essa bactéria não apresenta nenhum sintoma aparente. Porém, dentro de 1 a 3 semanas, a doença começa a manifestar alguns incômodos. Os principais sintomas são:

  • corrimento vaginal ou peniano purulento;
  • sangramento ou dor após as relações sexuais;
  • dor abdominal;
  • dor durante o ato sexual;
  • dor ao urinar.

É comum que os sintomas desapareçam após um tempo, portanto, se sentir algum desses desconfortos, é importante consultar um médico. É fundamental lembrar que a infecção causada por essa bactéria pode trazer graves consequências à saúde quando não tratada.

Quais são os tratamentos possíveis?

A doença causada pela bactéria Chlamydia trachomatis pode causar infertilidade, gravidez ectópica, endometrite e outras doenças inflamatórias. Por isso, ao sentir os sintomas, procure um médico para fazer o diagnóstico correto. Por ter sintomas parecidos com os de outras doenças sexualmente transmissíveis, apenas o profissional de saúde é indicado para determinar se a paciente contraiu a bactéria.

O tratamento é simples e é realizado por meio de antibióticos, como a azitromicina e a doxiciclina. É importante que os parceiros sexuais também façam uma visita ao médico para verificar se há infecção e iniciar o tratamento caso seja necessário.

Para curar a doença, também é preciso se abster das relações sexuais durante todo o tratamento.

Com relação às gestantes, é importante observar qualquer sinal de corrimento purulento. Caso tenha alguma suspeita de infecção bacteriana, é imprescindível fazer o diagnóstico e o tratamento caso seja identificada a doença. Isso porque a infecção pode causar parto prematuro e até mesmo morte neonatal.

Por ser uma doença muitas vezes silenciosa, a prevenção é a melhor forma de se evitar a clamídia. Para isso, é importante o uso de preservativos em todas as relações sexuais. Assim, é possível evitar todo tipo de infecção sexualmente transmissível, inclusive o HIV, uma das DST mais graves.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo.

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro