Exames ginecológicos preventivos: qual a frequência indicada?

Para garantir uma boa saúde sexual e reprodutiva, a mulher deve manter os exames ginecológicos preventivos em dia. A prevenção é o melhor caminho para ter uma vida saudável; por esse motivo, é essencial que o acompanhamento com um ginecologista faça parte da sua rotina.

Algumas doenças não apresentam sintomas fáceis de serem identificados. Por isso, a avaliação de um profissional se torna indispensável, para acompanhamento, possível diagnóstico e até mesmo tratamento.

Para te ajudar a entender melhor sobre o assunto, neste artigo vamos explicar qual é a importância dos exames ginecológicos preventivos, a frequência com que eles devem ser realizados e os problemas que eles detectam. Acompanhe!

Qual é a importância dos exames ginecológicos preventivos?

Os exames ginecológicos preventivos devem ser prioridade na vida das mulheres. Seu principal objetivo é preveni-las de doenças que podem colocar a sua vida em risco.

Por isso, o médico ginecologista deve ser visto como o seu aliado, a pessoa que verifica se existe alguma alteração nas células do colo uterino, infecções, lesões etc., para então indicar o tratamento ideal para eliminar a patologia.

Lembre-se: quanto antes uma doença for diagnosticada, mais fácil será seu tratamento, o que também aumenta muito suas chances de cura.

Qual a frequência com que eles devem ser realizados?

Os exames ginecológicos preventivos devem ser feitos, pelo menos, uma vez por ano, para as pacientes que estão saudáveis e não apresentaram nenhum problema. Do contrário, somente o profissional poderá informar a frequência da realização dos exames.

Ninguém pode se declarar isenta da realização dos exames, pois eles são fundamentais para garantir uma vida saudável e tranquila: mesmo se você não sentir nada, como dissemos, os exames são necessários e podem salvar sua vida.

Os exames devem ser feitos a partir do momento que se inicia a vida sexual da mulher ou, então, desde o momento que ela completar 18 anos.

Se houver alguma complicação antes do período indicado, como:

  • dores ou cólicas intensas;
  • corrimento;
  • ausência do início da menstruação entre as idades de 15 e 16 anos;
  • sangramento vaginal que perdure por mais de dez dias;
  • atraso menstrual etc.,

médico deverá ser consultado o mais rápido possível.

Quais problemas eles detectam?

No momento do exame ginecológico preventivo, muitas doenças podem ser identificadas, desde as mais simples até as mais graves. Porém, cada um é responsável por diagnósticos diferentes. A seguir, separamos os principais deles.

Papanicolau

Pode detectar:

  • alterações causadas pelo HPV e, até mesmo, lesões causadas por ele;
  • câncer de colo do útero;
  • inflamações e infecções vaginais;
  • algumas Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST).

Ultrassom transvaginal

  • câncer de ovário;
  • miomas;
  • cisto ovariano.

Mamografia

Essencial para detectar o câncer de mama — tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil.

Colposcopia

Verifica se existem lesões que não podem ser observadas a olho nu — é um exame complementar ao papanicolau.

Como diz o velho ditado, “é melhor prevenir do que remediar”. Isso se encaixa perfeitamente quando o assunto é saúde: os exames ginecológicos preventivos têm a função de precaver a mulher de doenças que podem pôr em risco a sua vida.

Saúde nunca foi brincadeira. É preciso estar atenta a cada sinal de alerta que o seu corpo dá para evitar que o pior aconteça. Por isso, não deixe de visitar o seu ginecologista periodicamente e de cuidar bem da sua saúde e bem-estar.

Gostou do nosso artigo? Restou alguma dúvida? Fale com a gente nos comentários!

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro