Grávidas podem ou não podem?

Grávidas podem ou não podem fazer durante a gestação…. esta é uma série de dúvidas que tentaremos esclarecer agora:

1) comer canela?

A canela é muito controverso. Dizem que a ingestão de grandes quantidades de canela durante a gestação pode levar aos filhos dessas mulheres a apresentarem hiperatividade, déficit de atenção e agressividade, mas o que seria grande quantidade? Há quem diga que chá de canela é abortivo, mas também encontramos trabalhos desmentindo.

2) comer pimenta?

A pimenta não causa mal-formações no feto, nem é abortiva. Como altera o pH do estômago, pode piorar sintomas como azia, refluxo e intestino lento. No final da gestação pode deixar as hemorroidas mais dolorosas e sensíveis. Caso a gestante não apresente nenhum destes sintomas, pode comer pimenta à vontade.

3) tomar bebidas alcoólicas?

A Organização Mundial de Saúde recomenda consumo ZERO de álcool durante a gestação, pois o álcool é considerado a principal causa de atraso mental e desajustes de comportamento. Um drink ocasional não apresenta risco, mas não existe uma dose segura.

4) fazer academia?

A gestante pode e deve fazer exercícios físicos desde que orientados por profissional habilitado. Os exercícios feitos regularmente:
• previnem e amenizam as dores lombares por corrigir a postura da grávida frente à hiperlordose que comumente surge durante a gestação, assim o exercício contribui para a adaptação para a nova postura;
• diminui as dores nas mãos e membros inferiores por promover menor retenção de líquidos;
• reduz o stress cardiovascular provocado pela gestação (aumento da atividade cardiovascular no período gestacional em comparação ao período não gestacional) promovendo uma frequência cardíaca mais baixa, maior volume sanguíneo em circulação, menor pressão arterial, maior capacidade de oxigenação, prevenção de varizes e tromboses, além da diminuição do risco de diabetes gestacional.
• Influencia também nos aspectos emocionais, já que contribui com sua auto-confiança e sua satisfação com sua aparência, melhorando sua auto-estima.
• Fortalece a musculatura pélvica, tornando-se um fator a mais para o parto a termo, contradizendo o que se pensava antigamente que poderia levar ao parto prematuro
• Há estudos que demonstram que pacientes nulíparas (1º gestação) sedentárias, apresentam um risco 4,5 maiores de nascimento por cesárea (Bungum et al)
• A atividade física durante a gestação promove uma maior flexibilidade das articulações e ligamentos pélvicos o que facilita a passagem do feto, além de diminuir as dores do parto, fazendo com que as gestantes fisicamente ativas tolerem melhor o trabalho de parto, principalmente os mais prolongados do que as uqe não se exercitaram ou o fizeram esporadicamente.
• Casos de exercícios de intensidade moderada a intensa ou gestantes que trabalham com levantamento frequente de carga pesada tem um risco aumentado de aborto espontâmeo e cerca de 20 a 30% de parto prematuro.
Alguns tipos de atividades físicas têm se destacado durante a gestação, tais como: como exercícios leves na água, caminhada e bicicleta. Para Katz, a natação é a atividade mais recomendada para a gestante, graças a flutuabilidade do corpo na água. A atividade física na água é benéfica para os joelhos, pois diminui o impacto e geralmente é mais relaxante que outros tipos de exercícios, especialmente os exercícios de força como a musculação. A natação ainda diminui o edema que é um efeito comum na gestação, porém desconfortável.
Alguns tipos de exercícios físicos e/ou situações não são recomendadas para a prática durante o período gestacional:
• qualquer atividade competitiva, artes marciais ou levantamento de peso;
• exercícios com movimentos repentinos ou de saltos, que podem levar a lesão articular;
• flexão ou extensão profunda deve ser evitada pois os tecidos conjuntivos já apresentam frouxidão; exercícios exaustivos e/ou que necessitam de equilíbrio principalmente no terceiro trimestre;
• basquetebol e qualquer outro tipo de jogo com bolas que possam causar trauma abdominal;
• pratica de mergulho (condições hiperbáricas levam a risco de embolia fetal quando ocorre a descompressão;
• qualquer tipo de ginástica aeróbica, corrida ou atividades em elevada altitude são contra-indicadas ou, excepcionalmente aceitas com limitações, dependendo das condições físicas da gestante;
• exercícios na posição supino (deitado de barriga para cima) após o terceiro trimestre podem resultar em obstrução do retorno venoso, pois o útero comprime a veia cava

5) fazer tatuagem?

Não é aconselhável fazer tatuagem durante a gestação por uma série de fatores:
• a imunidade da mãe está diminuída, facilitando infecções
• substâncias absorvidas com a tinta podem fazer mal ao bebê
• a pele está esticada durante a gestação e quando voltar ao normal após 40 dias do parto poderá alterar o resultado do desenho.
• No parto, se a tatuagem recente for realizada nas costas poderá dificultar ou mesmo atrapalhar a anestesia
• Se os instrumentos para a realização da mesma não forem esterilizados ou descartáveis, poderá haver a transmissão de HIV, hepatite B e C que pode passar para o bebê através da placenta

6) fazer luzes no cabelo?

Não há problema fazer luzes durante a gestação, pois no procedimento de luzes, o corante é limitado às folhas, não chega à raiz e não será absorvida pela pele.

7) fazer escova progressiva no cabelo?

Provavelmente uma progressiva durante a gravidez, após o primeiro trimestre não vai trazer problemas para o bebê, mas na realidade não há estudos que comprovem isso. Os produtos utilizados para a realização da escova progressiva e outros tratamentos químicos para alisar os cabelos na grande maioria das vazes contém FORMOL que é um produto comprovadamente cancerígeno pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Mesmo os métodos mais recentes, as chamadas escovas de chocolate e de fruta, podem conter formol. A quantidade de formol permitida pela ANVISA em produtos cosméticos é de 0,2% que tem uma ação de conservante e não age como alisante, assim é importante selecionar o salão com critério, pois muitos salões acabam adicionando o formol às fórmulas industrializadas para potencializar o efeito das escovas progressivas.

8) pintar o cabelo?

O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG) considera as tinturas de cabelo seguras durante a gravidez por serem pouco absorvidas pela pele. Entretanto é preciso ser cauteloso. Muitos médicos orientam que as gestantes não utilizem tinturas permanentes (soluções alcalinas à base de amônia que penetram através da cutícula) durante o primeiro trimestre de gestação, pois é possível inalar produtos durante este processo que poderiam ser prejudiciais para o bebê em formação. Este tipo de tintura contem amônia, que tem uma fumaça química forte. A recomendação é evitar tinturas de cabelo que contenham amoníaco. Tinturas semi-permanentes podem ser considerados mais seguros para gestantes, assim como as tinturas naturais, como henna,

9) andar de moto?

No Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não há nenhum artigo que proíba a circulação sobre duas rodas de mulheres gestantes. O problema da gestante na moto é em primeiro lugar que em caso de impacto ou acidente não há proteção alguma já que na motocicleta não há cinto de segurança para segurar seu corpo, fatalmente haverá um trauma abdominal e este será mais grave quanto mais adiantado estiver a gestação, podendo levar até a um descolamento de placenta no terceiro trimestre. No primeiro trimestre pilotar ou nadar na garupa da moto não há grande problema, sendo que a paciente deve estar ciente do risco do acidente. A partir do segundo trimestre a barriga começa a crescer e começa a ficar desconfortável tanto para dirigir quanto para andar na garupa, já no terceiro trimestre como a barriga já está grande a chance de a gestante se desequilibrar é maior e as dores nas costas podem piorar pela posição inclinada.

10) tomar dipirona?

A dipirona tem uma ação anti-inflamatória maior do que o paracetamol. Apesar dos estudos não terem mostrado efeitos teratogênicos, descreve-se o risco de agranulocitose (doença aguda do sangue, que se caracteriza pela diminuição ou ausência de granulócitos ou leucócitos granulosos) potencialmente fatal. Segundo Dall’Olio et al a incidência de agranulocitose medicamentosa causada pela dipirona é de cerca de 0,2 a 1,1 por 1.000.000 habitantes, demonstrando uma incidência muito baixa para restringir o uso de uma medicação de alta eficácia na prática clínica.

11) tomar paracetamol?

É o analgésico e antipirético (contra a febre) mais utilizado durante a gestação e apesar de atravessar a placenta é considerado não teratogênico, isto é, não causa mal formações no feto. O principal risco do uso do paracetamol durante a gestação quando utilizado em doses tóxicas é a alteração do fígado tanto da mãe quanto do feto.

12) comer peixe?

A gestante não pode comer peixes ou moluscos crus por serem possíveis fontes do parasita Toxoplasma que pode causar cegueira e dano cerebral fetal. Os peixes predatórios grandes como peixe-espada, tubarão, cavala, atum branco (fresco ou enlatado), pois podem estra contaminados com níveis elevados de mercúrio. Considera-se seguro 200g de atum branco por semana, mas é aceitável até 400g de atum light, camarão, salmão, badejo e bagre.

13) comer camarão?

É aceitável até 400g de camarão por semana, acima disso é arriscado pela contaminação de mercúrio.

banner-ebook

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro