ISTs

Você sabe o que são ISTs?

Certamente, na sociedade moderna, independentemente da idade, a maioria das pessoas já ouviu falar dos riscos que o sexo sem proteção pode trazer para a nossa saúde. Mas o que talvez elas não saibam, é que, além dos vírus, como é o caso do HIV, outros agentes nocivos também podem ser responsáveis pelo contágio das doenças sexualmente transmissíveis. As chamadas ISTs são infecções de fácil transmissão que, se não tratadas a tempo, podem ter consequências tão graves quanto a própria AIDS.

O que são ISTs?

As infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), antes conhecidas pela sigla DST, são enfermidades que têm a principal forma de contágio através do contato sexual e podem ser causadas tanto por vírus, quanto por fungos, parasitas e bactérias. Em geral, elas são assintomáticas e o indivíduo pode conviver com o problema sem se dar conta de que estará contaminando outras pessoas.

Como se manifestam?

Normalmente, tais infecções se apresentam por meio de corrimentos, pequenas feridas ou verrugas nos órgãos genitais, mas também podem surgir em outras partes do corpo, como olhos, língua e palma das mãos.

É importante lembrar que nem sempre essas infecções apresentam indícios de estarem presentes no corpo ou muitas vezes esses indicativos surgem só vários anos após o contágio. Além disso, esses sintomas podem se manifestar apenas nos homens ou nas mulheres, as quais podem, inclusive, transmitir as infecções para o bebê durante a gestação, por exemplo. Sendo assim, é fundamental conversar com o parceiro caso surja algum incômodo na área genital, para que ambos procurem aconselhamento médico o quanto antes.

ISTs mais comuns

Dentre as infecções sexualmente transmissíveis mais diagnosticadas estão: VIH/Sida, clamídia, vírus do papiloma humano (HPV), herpes genital, hepatite B, gonorreia ou blenorragia, tricomoníase e sífilis.

Além da relação sexual sem proteção, para o sexo vaginal e anal, o sexo oral e o compartilhamento de brinquedos sexuais são as principais formas de transmissão das ISTs, por isso a importância de se usar camisinha masculina ou feminina em todas as relações sexuais, assim como utilizar preservativos e lubrificantes durante o compartilhamento de vibradores, por exemplo.

Tratamento para ISTs

Algumas dessas infecções, como o papiloma humano, podem ser prevenidas com a vacina distribuída pelo Ministério da Saúde, a qual pode ser tomada tanto por meninos quanto por meninas. Já algumas infecções, quando diagnosticadas, podem ser tratadas com o uso de antibióticos. Porém, existem enfermidades, como VIH, dentre outras, que permanecem no corpo do indivíduo por toda a vida deste e só podem ser controladas com o uso contínuo de medicamentos.

Finalmente, é importante destacar que a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que 1 milhão de novos casos de IST ocorra por dia no mundo, com isso, seja qual for a idade, se uma pessoa é sexualmente ativa, a prevenção se torna a melhor forma de evitar fazer parte dessa alarmante estatística.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo.

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro