Miomas: o que são e quais os cuidados necessários?

Os miomas são tumores benignos que surgem durante a idade fértil de algumas mulheres. Ao contrário do que muitos pensam, na maioria dos casos os miomas uterinos não se transformam em câncer e são tratáveis.

Quando não cuidados os miomas causam sangramentos e até mesmo infertilidade. Descubra no post de hoje o que são e quais os cuidados necessários para tratá-lo!

O que são os miomas?

O mioma se desenvolve do tecido muscular liso do útero, o miométrio. Aqui uma única célula passa a se dividir e crescer de forma descontrolada, criando uma massa distinta dos tecidos ao redor. Em algumas mulheres o crescimento acontece lentamente, em outras de modo acelerado.

Há casos em que os surtos de crescimentos são grandes e em outros encolhem por conta própria. Os maiores fatores de riscos são histórico familiar, idade, etnia (mulheres negras) e obesidade.

Existem diversas pesquisas que buscam entender as causas do mioma. Entretanto, o que é possível perceber é que os hormônios de progesterona e o estrogênio são fortes influenciadores, tanto que é na entrada da menopausa, com a redução dos hormônios, que notam-se menos casos da doença.

Quais os sintomas dos miomas?

Algumas mulheres não apresentam sintomas, sendo possível diagnosticar o início com exames de rotina. Porém, os relatos mais comuns são períodos menstruais prolongados, pesados e atípicos (com muitos coágulos), dor pélvica durante as relações sexuais, dificuldade para esvaziar a bexiga e prisão de ventre.

Como os miomas são detectados?

Além dos sintomas descritos acima, os procedimentos para diagnosticar os miomas são feitos com ultrassonografia, tomografia computadorizada ou exames pélvicos no consultório para constatar alguma deformidade no formato ou tamanho do útero.

Em alguns casos eles podem ser múltiplos ou únicos e a quantidade das massas pode distorcer o útero. Como podem surgir em diferentes partes do órgão, podemos separá-los em 5 tipos:

Miomas pediculados

Estão ligados ao útero por uma ponte fibromuscular, por onde é alimentada a circulação. Assintomáticos (que não apresenta sintomas), o crescimento pode preestabelecer à torção do tecido que conecta a outra parte causando dor aguda e por consequência a cirurgia de urgência.

Miomas subserosos

Localizado na porção mais externa do útero, a massa cresce para fora e não costuma afetar o fluxo menstrual. É desconfortável pelo tamanho e pressão sobre os outros órgãos pélvicos.

Miomas submucosos

Encontrados na parte mais profunda do útero, esse tipo de mioma está abaixo da capa que cobre a cavidade uterina. Menos comuns do que os outros, esse problema provoca períodos menstruais mais intensos e longos.

Miomas intramurais

Classificados como os tipos mais comuns de miomas, essa fase ocasiona fluxo menstrual intenso, dor pélvica e constante sensação de peso. Crescem no interior da parede uterina, deixando o útero maior do que o normal.

Miomas intracavitários

Como crescem dentro da cavidade uterina, esses miomas causam sangramento entre os períodos e muitas cólicas.

Qual o melhor tratamento para mioma?

Para cada mulher, há um modo adequado para se tratar a doença. De início, após notar os sintomas, a melhor maneira é procurar um profissional e descrever as ocorrências. Existem duas formas para o tratamento: cirurgia ou medicamentos. Os cuidados variam entre a quantidade de nódulos e o histórico da mulher.

Para as que ainda não possuem filhos, os remédios são as primeiras opções. Eles podem ser injetáveis e orais, de ações anti-inflamatórias não hormonais, fármacos inibidores de hormônios, progestágenos, entre outros.

No caso de mulheres com mais de 35 anos e com filhos, a histerectomia (retirada do útero com os nódulos) é o procedimento mais indicado. A cirurgia é feita por videolaparoscopia, laparoscopia ou via vaginal.

Se a mulher optar por ficar com o útero, retira-se só os miomas e segue o tratamento com medicamentos. Nesse caso, existe a probabilidade de os nódulos voltarem futuramente. Grande parte dos ginecologistas sugere o uso de remédios para bloquear a produção de hormônios.

As mulheres que sofrem com o problema e que desejam engravidar devem estar atentas quanto as medicações. Os miomas podem prejudicar a fertilidade ou provocar abortos e partos prematuros naquelas que conseguiram engravidar.

Agora que já conhece mais sobre os sintomas e causas dos miomas, compartilhe o post nas redes sociais. Você pode ajudar muitas mulheres nesta batalha!

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro