amiu

Conheça a diferença entre AMIU e curetagem

Conheça a diferença entre AMIU e curetagem

Existem diversos motivos para que uma gravidez não continue e se inicie um processo de abortamento. Cerca de 20% das gestações podem ser interrompidas por razões que variam entre má-formação, infecções, problemas anatômicos no útero, distúrbios endócrinos, etc. Chama-se de abortamento a interrupção de uma gestação até a 20ª semana. Já o termo aborto se refere ao material ovular decorrente desse processo. Quando ocorre até a 12º semana, o aborto é chamado precoce. Já quando ocorre da 13ª a 20ª semana, o aborto é considerado tardio. Se a perda gestacional não ocorrer espontaneamente, ou seja, se o embrião não for naturalmente expelido pelo corpo, é necessário um procedimento médico para realizar a limpeza uterina. Os métodos mais comuns para esse tipo de intervenção são a aspiração manual intrauterina (AMIU) e a curetagem. Saiba quais são as diferenças entre os dois procedimentos.

Quando fazer a AMIU?

A aspiração manual intrauterina é indicada para as gestações que não ultrapassaram 12 semanas. É um procedimento mais simples e permite o esvaziamento do útero de forma rápida. Essa técnica é realizada com o uso de sedação, e a paciente geralmente pode ir para casa em algumas horas.

A aspiração pode ser realizada em mulheres que estão em processo de abortamento e querem que o processo seja mais rápido.

Quando fazer curetagem (CTG)?

Nas gestações com mais de 12 semanas, pode-se realizar a curetagem uterina. Geralmente, a mulher toma uma medicação, além de doses de ocitocina, para induzir a eliminação do material ovular que se encontra no útero. Depois desse processo, pode-se fazer a aspiração ou a curetagem. É comum realizar este segundo procedimento em casos de aborto retido, ou seja, quando o corpo não conseguiu eliminar o material.

É importante realizar os procedimentos com um médico de confiança, já que a mulher pode perder bastante sangue durante o processo de abortamento. Além disso, um procedimento incorreto pode causar inúmeras complicações, como perfuração uterina e laceração cervical.

As principais diferenças entre AMIU e curetagem

A aspiração manual intrauterina é um procedimento mais simples, portanto, apresenta menos possibilidade de complicações. Em casos nos quais não é possível realizá-lo, é indicada a curetagem.

A AMIU consiste na aspiração a vácuo do material presente no útero, por meio da utilização de cânulas (pequenos tubos). É uma técnica segura e recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

A curetagem é realizada enquanto o colo uterino se encontra dilatado, por meio da introdução de pinças e da cureta. Com o emprego desses instrumentos cirúrgicos, é feita a raspagem uterina. Esse procedimento requer internação da paciente, e é necessário o uso da anestesia geral.

A AMIU tem vantagens em relação à curetagem, pois é uma prática mais rápida, mais segura e tem menos chances de complicações. Porém, quando realizados corretamente, os 2 métodos são eficazes. E não se esqueça de procurar ajuda médica aos primeiros sinais de abortamento, como sangramento, cólica ou outros tipos de dores durante a gestação.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo.

Posted by Dra. Cristina Carneiro in Todos