disfunções da sexualidade

Disfunções da sexualidade: o que são e como tratá-los?

Disfunções da sexualidade: o que são e como tratá-los?

Há vários aspectos que podem interferir na vida sexual de homens e mulheres, elevando ou rebaixando o grau de satisfação e realização. As disfunções da sexualidade estão dentre os fatores que contribuem para uma vida sexual insatisfatória ou até inexistente, causando sofrimento, interferindo nos relacionamentos e até separando casais.

As disfunções podem surgir por meio de 2 canais: orgânicos ou psicológicos. Há casos em que os fatores orgânicos são acompanhados dos psicológicos, na condição de causa e efeito.

Há uma série de disfunções que tem causas orgânicas, as quais precisam ser investigadas. A impotência masculina, por exemplo, pode ser decorrente de questões relacionadas ao estilo de vida, como tabagismo, uso de medicamentos ou problemas circulatórios.

As mulheres podem sofrer, durante a menopausa, com perda de apetite sexual e problemas de ressecamento da vagina, assim como alguns aspectos físicos podem tornar a penetração dolorosa em qualquer idade, podendo ser reparados com diagnóstico e tratamento.

Os transtornos decorrentes de fatores psicológicos são mais complexos, uma vez que há necessidade de se identificarem fatores subjacentes que deflagram os comportamentos. Podem estar relacionados a traumas, estigmas, falta de conhecimento do próprio corpo, fatores sociais, problemas afetivos ou questões ligadas ao próprio relacionamento.

As disfunções da sexualidade podem ser primárias, quando se fazem presente desde o início da atividade sexual, ou secundárias, quando são adquiridas com o tempo. Podem ser divididas, também, em generalizadas, quando estão sempre presentes, ou situacionais, quando são casuais.

Homens e mulheres devem ter a compreensão de que essas disfunções são problemas de saúde e, como tais, devem e podem ser tratadas, mas isso só será possível a partir do momento em que são reconhecidos pelo paciente e que este procura ajuda médica.

Quais são as disfunções da sexualidade conhecidas?

O problema mais temido pelos homens é a disfunção erétil, culturalmente associada à masculinidade e ao desempenho, o que faz com que esse problema possa se agravar e adquirir novas influências.

Essa disfunção pode estar associada a doenças vasculares, diabetes, problemas neurológicos, hormonais, psicológicos, estresse, depressão e uso de medicamentos. Pode estar relacionada também à insatisfação no relacionamento, à baixa autoestima, à ansiedade e ao medo do fracasso.

Esse não é o único problema do público masculino, que pode sofrer também com quadros de hipoatividade sexual, problemas com ejaculação, orgasmo e até dor, a chamada dispareunia.

O cardápio de fatores que podem agir diretamente na sexualidade feminina é ainda mais variado. Além da hipoatividade sexual, podem estar presentes problemas como a dificuldade de manter a excitação ou atingir o orgasmo, assim como a aversão sexual. As causas, dependendo do problema, podem ser orgânicas, psicológicas ou mistas.

O mesmo ocorre com disfunções relacionadas diretamente à penetração, como a dispareunia e o vaginismo. Na 1ª, a mulher sofre com dores durante o coito. No vaginismo, os músculos da região do períneo se contraem exageradamente, provocando dificuldades para manter a relação, podendo ser essa reação produto de traumas, experiências negativas, bloqueios psicológicos, medo e crenças.

Como tratar?

Como é possível perceber, o conjunto dos fatores relacionados à saúde sexual é bastante amplo. Pode, no que se refere a diagnóstico e tratamento, reivindicar a intervenção de diferentes especialistas.

O 1º passo é buscar o auxílio do ginecologista, no caso das mulheres, ou do urologista, no caso dos homens. A abordagem médica pode, no entanto, ser transdisciplinar, incluindo a participação da psicologia, da psiquiatria, da endocrinologia e até mesmo de outras especialidades.

Tudo dependerá das disfunções da sexualidade que forem identificadas, mas a mensagem é sempre de otimismo, pois há terapias disponíveis, capazes de restaurar uma rotina sexual saudável.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo.

Posted by Dra. Cristina Carneiro in Todos