parto induzido

Parto induzido: o que é e quando é necessário

Parto induzido: o que é e quando é necessário

O tempo normal de gestação de um bebê é de 41 semanas, segundo o protocolo de obstetrícia brasileiro. No entanto, assim como podem ocorrer nascimentos prematuros, é possível observar casos em que a gravidez se prolonga além do tempo normal. Tal situação coloca em risco tanto a vida da mulher quanto a do bebê, podendo levar à morte do feto ou deixar sequelas graves na criança.

Nesse momento, os médicos podem recorrer a um procedimento bastante comum no meio obstétrico, o parto induzido. Quer saber como ele funciona e quando é necessário induzir o nascimento de um bebê? Acompanhe a seguir.

O que é o parto induzido?

Como o próprio nome já diz, esse é um procedimento em que o médico obstetra precisa impulsionar o nascimento de um bebê. Os motivos podem variar de mulher para mulher, e vamos falar sobre eles no próximo tópico.

Antes, porém, vale explicar como esse tipo de parto é realizado. O procedimento mais comum nesses casos é bastante simples: o médico obstetra insere uma medicação em forma de comprimido na vagina da mulher. É o caso da prostaglandina, substância presente no organismo da mãe quando o trabalho de parto é espontâneo.

A partir daí, começam a surgir as contrações, as quais são responsáveis pela dilatação da vagina e auxiliam o bebê a passar pelo canal do parto. Em outras palavras, a medicação age para que o trabalho de parto aconteça.

Também é possível aplicar ocitocina artificial por via intravenosa. A substância é um hormônio que as mulheres excretam no momento de dar à luz, além de ser muito importante para que o trabalho de parto tenha início.

Quando é necessário induzir o parto?

Induzir o nascimento de um bebê é um procedimento que os médicos costumam realizar especialmente em algumas ocasiões. A primeira delas é quando a mulher não consegue entrar em trabalho de parto sozinha, e a gestação já ultrapassa 41 semanas. Nesse caso, deve-se avaliar se a mãe não apresenta alguma doença, como pressão alta (pré-eclâmpsia).

Também é possível realizar o parto induzido quando a mãe ou o bebê correm risco de vida, mesmo que ela ainda não tenha completado as 41 semanas (desde que seja a partir das 22 semanas).

Outras situações em que o parto induzido pode ser realizado: nos casos em que a bolsa de líquido amniótico estoura e a mulher não começa a sentir contrações em um período de 24 horas; quando o bebê possui algum tipo de má-formação; ou quando há diminuição do líquido amniótico. Alguns métodos caseiros, como acupuntura, relações sexuais e homeopatia, também são indicados para quem deseja facilitar o início do trabalho de parto. Entretanto, é importante ressaltar que tais atitudes só devem ser tomadas após indicações médicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo.

Posted by Dra. Cristina Carneiro in Todos