Vaginite

Vaginite: sintomas, causas e tratamento

Um dos distúrbios ginecológicos mais recorrentes, a vaginite é a inflamação da área íntima da mulher, provocada por microrganismos. Podendo afetar mulheres de todas as idades, incluindo crianças. A sua causa está relacionada não só aos microrganismos, mas também a substâncias como sabonetes e até mesmo roupas.

Quando a vulva também inflama, a condição é conhecida como vulvovaginite. Neste artigo, apresentaremos os sintomas, causas e os meios de tratar a doença. Acompanhe.

Quais os sintomas da doença?

A inflamação da região íntima da mulher traz os seguintes sintomas:

  • corrimento;
  • odor vaginal;
  • irritação na área;
  • secura;
  • sensibilidade;
  • coceira;
  • vermelhidão;
  • inchaço;
  • em alguns casos, a paciente também pode sofrer com micção frequente.

Entendendo as causas da vaginite

As causas da doença são variadas. A faixa etária da paciente é um dos principais fatores que contribuem para essa variação, assim como situações do cotidiano.

Mulheres que fazem uso de calças muito apertadas e produtos como absorventes internos têm maior propensão a desenvolver a inflamação no tecido da região íntima.

Com relação à infecção dos tecidos da vagina causada por bactérias, é importante esclarecer que ela pode ocorrer tanto por conta da má higienização da região, quanto por relações sexuais desprotegidas e após o período menstrual.

Reações alérgicas a determinados produtos que entram em contato com a área também podem resultar na inflamação, tais como: sabonetes normais ou íntimos perfumados, medicamentos, amaciante de roupas, látex de preservativo, papel higiênico perfumado e lingeries de materiais sintéticos.

Transformações no corpo também são uma das causas da vaginite. Mulheres grávidas, em período pós-parto e de amamentação, em tratamento com quimioterapia ou radioterapia e que adentraram a menopausa têm a pele da vagina afinada. Como consequência, ela se torna mais sensível e sujeita a irritações, ardência e dores durante o ato sexual. O corrimento também pode surgir.

Já em crianças, a doença é causada por contaminação pela flora decorrente do trato gastrointestinal, tendo como principais fatores a má higienização da área e das mãos. Alergias também podem ajudar a desenvolver o quadro.

Tratando o problema

Para cada caso específico, há um tratamento. Para saber qual o indicado para o seu caso, o ideal é consultar um ginecologista. Somente esse especialista saberá dizer quais as causas da inflamação, prescrevendo os medicamentos adequados.

Dentre os tratamentos, estão antibióticos, pomadas vaginais, antialérgicos, lubrificantes íntimos e reposição hormonal. Em alguns casos, o ginecologista também poderá prescrever medicamentos para o parceiro da paciente, evitando, assim, novas infecções.

Como se prevenir da doença?

Assim como o tratamento é fundamental, a prevenção também é. Para evitar esse tipo de complicação, a mulher precisa tomar alguns cuidados. São eles:

  • evitar o uso de shorts e calças muito apertados, principalmente em dias quentes;
  • dormir com pijamas leves ou até mesmo sem calcinha;
  • evitar o uso do absorvente interno por períodos muito longos;
  • não consumir antibióticos sem necessidade;
  • evitar duchas na região íntima;
  • não fazer sexo sem camisinha. Ao ter relações protegidas, evita-se não só a vaginite, como também outras DST.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo.

Comentários

Posted by Dra. Cristina Carneiro